segunda-feira, março 08, 2010

Os tais dias de...


[3682]

Ana Jorge é a mulher mais poderosa de Portugal (!!!!) e Kathryn Bigelow ganhou o Óscar para best director, pela primeira vez na história da Academia. São as parangonas de jornais e notícias principais nos noticiários das televisões matinais naquilo que considero a forma paroquial de, com uma penada, passarmos mais um atestado insultuoso às mulheres, a propósito de hoje ser o "dia" delas. Que isto de "dias de" cai muito bem e hoje calha a vez às mulheres, abusivamente listadas no rol do dia das bruxas, das mentiras, da criança, do ambiente, dos fumadores de cachimbo, do clima, por força desta pulsão idiota e pretensamente correcta de emularmos tudo o que nos parece ser como deve de ser. No caso de hoje, igualmente paternalista e sexista.

Só que a mulher não é, ou não devia ser, um item que se arrole nesse frenesi de politicamente correcto. A mulher não deveria servir para estas patetices, mas continua a servir.

Eu, se fosse mulher, chateava-me.

.

Etiquetas:

13 Comments:

At 9:57 da manhã, Anonymous Anónimo disse...

Eu, não sendo mulher, chateio-me!

(Gostava de saber a sua opinião desassombrada sobre determinada pessoa lá no Contrafeito: é que nunca lhe li nada sobre aquele indivíduo... e às tantas sou só eu que estou a delirar!)

Abraço,

 
At 10:47 da manhã, Blogger Li de Queiroz disse...

Tens toda a razão, meu amigo: é como reduzir a vida a um só dia!

Ser MULHER é ser monte,
É ser ventre de aventura,
É ser chão e horizonte,
Rio, riso, pranto, fonte,
Lábio que beija a ternura!

Um grande beijo, com a honra de ser MULHER todos os dias!:)

 
At 11:07 da manhã, Blogger Dulce Braga disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 11:10 da manhã, Blogger Dulce Braga disse...

Espumante
Para não me chatear mais,que como mulher e vaidosa que sou não gosto de rugas:))), comemoro os outros 364 e é por isso que hj mandei flores para os homens no meu blog!:)***

 
At 11:48 da manhã, Blogger Espumante disse...

Paulo Abreu e Lima

Estou no escritório... mais tarde voul ler o post.
Mas já dei uma "oftálmica" na diagonal e posso adiantar que não ando muito longe do que li. Mas, em boa verdade, vou ter que ler o post outra vez.
Quanto ao resto... eu tb não sou mulher e tb me chateio :)))

 
At 11:55 da manhã, Blogger Espumante disse...

Li

De quem é o poema???? diz-me... senão vou a Zinde saber :))))
Beijinho para ti, que és mulher todos os dias. Bonita, ainda por cima :)

 
At 11:59 da manhã, Blogger Espumante disse...

Dulce

Eu já lá fui buscar as minhas... e já deixei recado onde as guardava.
******

 
At 12:40 da tarde, Blogger ana disse...

as minhas colegas vão ter um almoço de mulheres. Eu prefiro ir amoçar com um homem :)

 
At 3:12 da tarde, Blogger Espumante disse...

ana

ora aqui estás uma avisada opinião :))
Beijinho e bom proveito

 
At 5:36 da tarde, Blogger Li de Queiroz disse...

Meu mui excelso amiguíssimo!

Tu conheces-me ben, certo?:) Logo, sabes de quem é o "poema" (se assim queres ter a bondade de lhe chamar!:)
Feito na própria resposta (que é como quem diz, "em cima dos joelhitos")...
Mas quem dá o poema que tem, a mais não é obrigada!!!:)

Obrigada pelo teu beijo, pelo teu elogio à minha suposta beleza(temo que não merecido, mas, olha, ninguém se faz)e pela tua amizade

Beijo daqui daLi

 
At 5:37 da tarde, Blogger Li de Queiroz disse...

ERRATA:
Onde se lê "ben", deve ler-se "beM"!:)

 
At 9:39 da tarde, Blogger Espumante disse...

Li de Queiroz

Ó Li de Queiroz, eu bem li que li "ben" até bem me dizeres que li mal, para logo a seguir me dizeres para ler bem o "bem" e não ben, que não fica bem e se descontextualiza.
Agora o poema. Onde é que eu andava com os joelhos... quer-se dizer... com a cabeça para não me ter apercebido que tamanha veia poética só podia ser tua? Porque será que me esqueço que tu não tens veia, tu tens VARIZ de poeta, mas não desanimes miha querida que isso opera-se, vai-se a variz, vai-se o poema, ficam os joelhos que podes sempre aproveitar para outras nobres funções, i.e. esfregar o chão. rezar, pagar uma promessa ou, porque não dizê-lo, resolver um puzzle. Mas prontes, tu desculpa-me não te ter reconhecido a variz logo às primeiras, pelo que humildemente ponho o baraço ao pescoço que nem Egas Moniz e me sujeito à tua douta punição
veijos vrilhantes do

NR

Agora a sério... o poeminha é lindo... julgava que só sabias fazer poemas sobre gado bovino :)))
Beijos

 
At 12:10 da manhã, Blogger Li de Queiroz disse...

De que variz se faz
O poema e a rima,
verso a verso,
Como quem lima
A raiz da paz,
Que tu me dás
No sentido inverso,
Pela perna acima,
Um sol disperso
Que desatina,
E se desfaz
Na expressão bovina
Que não desmereço?

Ó poema, ó rima,
De que variz de faz,
Em que colina
Me nasce o verso,
No rumo inverso,
Pela perna acima?

Que triste sina!
Que teia teço!

Mas que mereço:
Eu sou bovina!


veijos velos e vrilhantes desta que s´assina
Prescylla Márlenne (a que desatina!:))

 

Enviar um comentário

<< Home