terça-feira, janeiro 31, 2012

Menoridade

[4533]

Almocei com a personagem. E mais uns quantos. A conversa fluía, despretensiosa, trivial e eis senão quando alguém refere qualquer coisa sobre uma coisa qualquer, com uma qualquer importância que não adiantava qualquer coisa sobre coisa nenhuma. A personagem, impante e segura da representatividade de uma nova estirpe de intelectuais, aparentemente de gente que não suporta blogues e, não chegando, verbera com veemência quem os escreve ou lê, pergunta de imediato:

- Mas porque é que diz isso? Ouviu onde? Espera… leu num blogue, não me diga. Era mesmo o que faltava dizer que leu isso na blogosfera. Ainda não percebeu que a blogosfera é uma coisa menor, completamente ultrapassada pelas realidades e uma feira de vaidades, onde um grupo de gente ainda não reparou que ninguém lhes liga nenhuma?

Eu tenho um blogue. Este. Bom ou mau, é meu. Também me palpita ainda no sangue a máxima de que quem não se sente não é filho de boa gente. A diferença é que esta máxima é do tempo em que a boa gente se sentia porque havia má gente, má, mas ainda assim que merecia um desforço, uma descarga mínima de adrenalina, uma desafronta. Todavia, os tempos andam diferentes. Como as gentes. Já não são o que eram, as gentes, nem merecem desforço nem desafronta. Não valem sequer o trabalho do contraditório. Tornam-se uma maçada. Sobretudo porque quando recalcitram entre duas garfadas de um bitoque, espelham uma pretensa classe média, mas não suscitam a ideia de um vestígio de cultura ou polimento na discussão, e tudo tornam em refrega porque se sentem inflados por uma baforada de poder. Mesmo que efémero. Um tédio, esta gente.
.

Etiquetas:

4 Comments:

At 7:42 da tarde, Blogger estouparaaquivirada disse...

Pois, ainda bem que tens um BLOG!
Diverte-te com ele, que nós bem agradecemos!!! :)
Há pessoas que são uns insatisfeitos crónicos, sempre do contra, sempre criticos sempre descontentes!
xx

 
At 10:06 da tarde, Anonymous Anónimo disse...

Sem blogue?
Cruzes...que porre!
Não haveria manga,
Estaríamos de tanga...:)))*

 
At 9:06 da manhã, Anonymous Anónimo disse...

as novelas e os concursos dos gordos, os big brothers etc, também ninguém "vê". Parece mal LOL

 
At 9:08 da manhã, Blogger Nelson Reprezas disse...

anónimo das 10:06

Porre... xacaver... primeira pessoa do singular do presente conjuntivo do verbo ... hummm. talvez não. E daí... Que eu porre, que tu porres...quem sabe? :))))
:)*

 

Publicar um comentário

<< Home