quarta-feira, agosto 11, 2010

«Hajam» saúde e dinheiro para gastos

[3856]

A tropa já não é o que era. Aquelas fardas brancas, ataviadas de condecorações e símbolos e galões dourados infundiam o respeito devido à instituição. Mesmo nós, oficiais ou mesmo sargentos milicianos, fauna menor de um grupo de voluntários à força, concedíamos uma deferência genuína a quaisquer galões acima das três tiras douradas horizontais, o que equivalia a dizer que a partir de major era esperável lidar-se com gente da Academia Militar, gente estudada e razoavelmente culta, sobretudo numa altura em que as circunstâncias determinavam que quem tivesse pelo menos o acesso à faculdade pudesse ser oficial miliciano.

Mudam-se os tempos, quiçá as vontades, não mudam os galões, mas muda com certeza a formação de muitos oficiais. Só assim consigo entender que um tenente-coronel (uma larga e duas estreitas, lembro-me bem…), de dentro da sua imaculada farda branca e reluzente de galões e dourados correlativos, diga repetidamente «póssamos» à RTP, numa entrevista sobre os fogos que assolam o país. Eu sei que não é a gramática que apaga fogos, a coisa vai mais com água, mangueiras e aviões (meios aéreos, siga-se a ladainha), mas o busílis é que uma má gramática torna sempre desconfiável a competência e as capacidades de quem lidera situações de risco e emergência. Isto pode parecer um preciosismo, mas não é. Para decidir bem é preciso pensar bem, pensar sem erros. Para que «póssamos» todos ficar mais descansados. «Tênhamos» fé, que o homem da Fenprof e o senhor Albino da Comissão de Pais, através da boas práticas (esta das «boas práticas» concorre decididamente para destronar o «é assim») da educação, «há-dem» de contribuir definitivamente para que os tenentes-coronéis passem a ter uma esmerada educação em pequeninos. Já «houveram» casos semelhantes, ainda agora o senhor Albino se congratulava com a acção do governo no manejo e solução da indisciplina escolar. «Tênhamos» fé.

.

Etiquetas:

5 Comments:

At 3:08 da tarde, Blogger Lurdes disse...

Ao menos podia colocar no post abaixo um link de Gosto, por exemplo!
Não é todos os dias que se lê tanta sensibilidade vinda de um homem...

Beijinhos

 
At 4:21 da tarde, Blogger Espumante disse...

Exactamente por isto não pus comentários. O assunto" diz tudo: intimista. Por outro lado, eu teria que responder perguntando porque é que a Lurdes se admira com sensibilidade vinda de homens... nem todos lhe perguntariam ou admirariam que sendo a Lurdes nada para deitar fora, ainda está solteira, estou a citar. Está a ver porque é que eu reservo este tipo de temas a um tratamento... intimista?? :)))))

Um grande beijinho e acredite que há homens sensíveis. Muitos... é uma questão de saber onde eles estão :)))))

Ah! E obrigado pelo comentário. Ele revela igualmente muita sensibiliade por parte da Lurdes.

 
At 12:51 da manhã, Blogger papoila disse...

:)))
PÓSSAMOS
TÊNHAMOS
HÁ-DEM
acrescento o PUZI-O, que acho que fica muito bem nesta tua listinha de bom português :):):)

 
At 12:13 da manhã, Anonymous Anónimo disse...

1º - Concordo inteiramente com a Lurdes;
2º - Concordo inteiramente com a Papoila (apenas acrescentaria quase indefinidamente a lista, mas sei que tu "estivestes" de férias, sempre vestidinho a primor, com a camisa a "conduzir" com a gravata, a "controlar retundas" após "retundas" e, "portantos", há-des estar sem "pacência". De todo em todo, recomendo-te uma ida "ó dótor" para medires as "atenções", saberes do teu "castrol" e dos "trigliceridos". Lá terás que estar uma data de tempo no "bichet" (misto de "bicha" com "guichet"... juro que não fui em que inventei. Mas sei que a minha empregada demorou horas no "bichet" e que, quando vem para minha casa trabalhar, não pode passar com a filha num bairro que lhe corta caminho porque há lá um "pilófilo");
3º - "Dissestes" bem: "Tênhamos fé"!
Quanto à tropa de hoje (em sentido lato e restrito), só me apetece citar uma mulher de Abragão, que, muito furiosa com a ilimitada e quase obscena ganância do padre da aldeia, afirmou muito convictamente para quem a quis ouvir (fui uma das privilegiadas:)):
- "Porra, cum abade assim, o pobo inté perde as feses"! (plural de "fé", como sabes!)
E "prontos", que o "Sinhor te deia boas continuações"...

 
At 3:00 da tarde, Blogger Espumante disse...

Li de Queiroz

Tu concordas com a Lurdes (porque que é de Matosinhos, eu sei...), tu concordas com a papoila (porque é do Porto, eu sei...) toda tu és corda... bem que desconfiava que eras uma mulher da corda!

Bocelência se cumentasse a tempo e horas as coisas não ficabam para terás, mas que culpa é que eu tenho que ande a cumentar com quase um mês de atraso? É que num tenho tempo pra isto carago, eu tenho de trabalhar, ca minha bida é o travalho e num me tenho dado nada mal com iço!... :)))
Mas prontes fica aqui a resposta ao cumentário pra que a senhora não fique com afrontamentos :)))))
Gostei particularmente do bichet (quando vir uma bicha atrás dum guichet vou-me lembrar e das "feses", plural de fé (sempre achei que fé era um substantivo epiceno, afinal é um número primo...) :))))
beijinhos velos, minha querida e veja se passa a cumentar mais... tempestivammente (puxa, gostaste desta, do tempestivamente?) :)))

 

Enviar um comentário

<< Home