quarta-feira, setembro 10, 2008

Lutar pelo descrédito


[2663]

Os nossos filhos podem ir para a escola de telemóvel, bater nos professores, levar armas, participar em desordens, roubar. Podem não chumbar e acabar o secundário sem saber escrever, nem ler e com uma dificuldade arrepiante em se expressar. Podem não ter lido nada, a não ser meia dúzia de páginas de um par de livros que os professores lhes metam pela inteligência abaixo. Certamente saberão masturbar-se a preceito (frequentemente, uns aos outros, depois de se exercitarem em didácticos bonecos), fumam e começam a organizar-se em gangs que aprimorarão um pouco mais tarde, quando abandonarem a escola. Mas há uma coisa que ninguém pode negar. Serão especialistas em subverter, lutar e conduzir as coisas ao descrédito total. Porque a luta continua e isso é que é importante. Terão bons mentores. E nos intervalos poderão sempre frequentar uns cursos do Bloco onde, entre outras florestrias, aprenderão ainda como desobedecer á autoridade civil.

Para se inteirar e ver o estilo, consultar aqui.

Via ferrão.org

.

Etiquetas: ,

2 Comments:

At 8:39 da manhã, Blogger António Chaves Ferrão disse...

Ó Espumante, francamente. Contestar alguém com base numa afirmação que nós próprios inventamos e lhe colocamos na boca...
As palavras "modelo burocrático de avaliação" têm um significado não dispiciente. Da forma como mutilaste os dizeres do teu interlucotor, nem se percebe de que é que ele, eventualmente, estaria falando.
Mas parece que te divertes à brava com isso. Se assim for, terei que reconhecer, pelo menos, alguma utilidade em posts como este.
Um grande abraço

 
At 8:11 da manhã, Blogger espumante disse...

antónio chaves ferrão

Não perv
cebi bem o teu comentário e já é tarde. Tenho de ir trabalhar. Prometo ler com mais atenção e voltar.

 

Enviar um comentário

<< Home