segunda-feira, novembro 10, 2008

Batota mais fina


A cacofonia da fruta

[2760]


Nestas coisas de arbitragens de futebol, o melhor é não inventar muito. O suficiente para que ao favorecimento descarado de uma das equipas se sobreponha agora uma forma inteligente e muito mais subtil de fazer batota. Qual seja a de uma permanente forma de actuar marcando pequenas faltas, estrategicamente seleccionadas em relação ao possível desenvolvimento das mesmas. Faltas pequeninas, mal se dá por elas, critérios apertados e, aqui e ali, uma decisão qualquer de flagrante injustiça, mas donde não se espera vir grande mal ao mundo, contra o clube que se quer favorecer, para despistar.

Complicado? Nem por isso. Basta ter reparado na actuação do árbitro do Sporting vs Porto de ontem. Firmado numa versão angelical e usando por vezes aquela expressão de “vocês não me deixam alternativa”, aquele árbitro assinou uma das mais subtis actuações a favor do F. C. Porto.

Quem me conhece ou vai lendo este blogue sabe que nem sou muito de perder tempo com estas coisas de futebóis, mas a verdade é que desde que começou este enredo que mete tribunais, escutas telefónicas, apitos de vários cores, frutas diversas, é natural que o escrutínio público se tenha refinado. Daí a actuações como a de ontem (e, já agora, como as da semana passada contra o Benfica e Sporting) foi um passo. Um passo que demonstra bem como a batota é igual ao bacalhau. Há mil e uma maneiras de a fazer.


Afinal não sou só eu...

.

Etiquetas: ,

10 Comments:

At 11:47 da manhã, Anonymous Anónimo disse...

Lagarto zangado perde o rabo facilmente eheheh

 
At 12:17 da manhã, Blogger cristina disse...

O que queres dizer com esse «Afinal não sou só eu...»? Estás-te a referir ao Paulo Bento?! Como é evidente, isso não é uma referência válida para a questão, mas mesmo que fosse, o senhor ... ããã... não disse que ...ããã... o Porto foi ... ããã... favorecido!

 
At 12:55 da manhã, Blogger Lucas Santana disse...

No Brasil não é muito diferente. A muito desisti de gostar de futebol.

 
At 8:08 da manhã, Blogger espumante disse...

cristina

Tens razão quanto à dicção do Paulo Bento. Eu próprio a referi uma ror de vezes. Mas então... xacáver... vamos para o Rogério Alves, ex bastonário da Ordem de Advogados, hoje hoje por hoje um dos homens que melhor se expressam em Portugal e que disse exactamnte a mesma coisa que o PB. Aliás, disse mais e melhor (não tenho link).
Já agora... o Paulo Bento não diz ããããã. Diz ââââââ... uma questão de rigor :))))))

 
At 8:09 da manhã, Blogger espumante disse...

lucas santana

Tudo bem, meu amigo, mas temos de falar do que conhecemos, não é?
Um abraço para aí

 
At 5:23 da tarde, Blogger cristina disse...

Sejamos,... âââ... então... âââ... rigorosos: afinal o que disse PB sobre o favorecimento do Porto, que eu não ouvi?...

 
At 8:06 da manhã, Blogger espumante disse...

cristina
Ninguém ouve o que PB diz :)))) mas neste caso não era preciso porque toda a gente viu. E estava bem claro no post.
:))))

 
At 10:31 da manhã, Blogger cristina disse...

Desculpa a insistência, mas o meu "problema" não se prende com o facto de tu achares que o Porto foi (subtilmente) favorecido; o meu "problema" está em tu dizeres que não és só tu que achas isso, fazendo um link para o que disse o Paulo Bento...

 
At 4:05 da tarde, Blogger espumante disse...

crisitna

Com a irritação com que eu estava eu linkava qualquer coisa. Mas eu vejo o teu ponto de vista. E rendo-me :))))
Mas que o Porto foi subtilmente favorecido, foi.

 
At 8:38 da tarde, Blogger cristina disse...

=) Muito bem. Agora que estamos esclarecidos, já posso discordar da tua opinião! =D

«Mas que o Porto foi subtilmente favorecido, foi.» - dizes tu! =P Isto da clubite tem dessas coisas: tolda-nos a vista, mesmo incoscientemente!

 

Enviar um comentário

<< Home