quinta-feira, setembro 02, 2010

Mais um anjo da guarda


[3884]

Está ali no “Bom Dia Portugal” uma senhora loura, vestida de preto e com evidentes dificuldades oratórias a “ensinar-nos” que o sal faz muito mal, que o pão espanhol tem muito menos sal que o nosso, que pomos muito sal na sopa portuguesa e que o devíamos substituir por ervas, que temos de ensinar o povo (SIC -lá está o post anterior…) e que, e aqui a porca torce mesmo o rabo, cada duas fatias de pão português tinha cinco gramas de sal (cá pelas minhas contas o peso de cinco cigarros). Eu não tenho elementos para aferir a veracidade desta afirmação… mas, tal como a morte de Mark Twain, parece-me manifestamente exagerada. Não consigo imaginar duas fatias de pão contendo cinco gramas de sal. Alguém me ajude e diga mesmo quantos gramas de sal entram num quilo de pão para depois dizermos à tal senhora loura vestida de preto…

Não devia ser permitido entrevistar ninguém na televisão sem garantir que os entrevistados saibam quantos gramas de sal existem em duas fatias de pão.

.

Etiquetas: ,

11 Comments:

At 9:10 da manhã, Blogger Eu disse...

Eu tenho para mim que bem pior que o sal no pão há-de ser ver senhoras dessas a dizer disparates logo pela manhã... a tua tensão não sobe???

 
At 10:15 da manhã, Blogger Espumante disse...

EU

Qualquer loura vestida de preto e dona de um mínimo de aceitáveis atributos me faria subir a tensão, em condições normais de pressão e temperatura. Mas assim, a ensinar-me que o sal faz mal e que devia substituir o sal da sopa por ervas (eu, que raramente como sopa...) não há resquícios de tensão que me suba :))))))))))))))) E desculpa a vulgaridade da chalaça mas é que é tão verdade... !!!!!

Um beijinho nipónico. Tens tido notícias de Alguidares??
:)

 
At 10:29 da manhã, Blogger Dulce Braga disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 11:06 da manhã, Blogger beijokense disse...

Segundo o próprio Projecto de Lei para reduzir a quantidade de sal no pão, «o pão português de maior consumo, o chamado pão 'normal', possui entre 18-21 gramas de sal por quilo».
Fazendo as contas, 2 fatias de 125 g cada teriam os tais 5 gr. Alguém pode dizer se a sr.ª de preto tem ar de comer fatias de 125 g, i.e. uma sandes de 1/4 de quilo?

 
At 12:35 da tarde, Anonymous Anónimo disse...

@#$%*%$:((#$!***@#!!$$#...
Gansolina*

 
At 3:19 da tarde, Blogger Espumante disse...

beijokense

Obrigado pela útil informação. Concordo... devem ser umas sanduiches enormes :))

 
At 3:23 da tarde, Blogger Espumante disse...

gansolina

Hummmm, eu não acho, eu penso que @#$%*%$:((#$!***@#!!$$#... estaria bem se ...#$$!!#@***!$#((:$%*%$#€, a não ser que @#$%*%$:((#$!***@#!!$$#..., mas ... hummm logo se vê
*

 
At 8:43 da tarde, Blogger papoila disse...

Pois eu ouvi e vi a loira falar e fiquei convencida que ela disse que 5gr seria a quantidade de sal que deveríamos comer por dia...eu que tenho uma balança do tempo dos dinossauros (não digital) fiquei a pensar que não fazia a menor ideia de quanto sal comia por dia !!! Agora, chego aqui e tu dizes isto, acho que estava ainda meia a dormir ou não vi toda a entrevista...
Resumindo: cortar no sal é a mensagem!

 
At 11:19 da tarde, Blogger Espumante disse...

papoila

Cortar no pão... ou cortar no sono? :)))))
Bem aparecida!!!

 
At 12:47 da manhã, Blogger Li de Queiroz disse...

Meu bom Nelson:

O pão é um dos alimentos mais antigos da humanidade. A mitologia grega diz que a Deusa Deméter – que os romanos depois baptizaram de Ceres – foi quem ensinou aos seres humanos a arte de cultivar a terra e a das colheitas, principalmente do trigo, mandando o herói Triptólemo no seu carro puxado por dragões a fim de espalhar pelo planeta a forma de plantá-lo e o seu uso.

PÃOZINHO DE CADA DIA:

Ingredientes
7 chávenas de farinha de trigo

2 chávenas de água ou leite quente

1 colher de chá rasa de sal

2 colheres de gordura vegetal

1 colher de açúcar

2 tabletes de fermento biológico
(30 gr.)

ProntoS, agora já sabes!
Eu também pensei que sabia!

Infelizmente, a Deusa Deméter e o herói Triptólemo não me disseram a quantos gramas de sal corresponde uma colher rasa de chá, de "formas" que "a gente fiquemos na mesmíssima"!:)

Mas que tentei orientar-te na vida saudável, é uma verdade!
É altura de fazeres uma submissa vénia acompanhada de um delicado "vrigadinhas, tou-te muito grátis" (a que eu, de imediato, retorquirei com um bondoso "de nadas!")...

Ó, magnânimo coração, este meu.

Veijos temperados com uma colher rasa de sal:)
Gramas?:)

 
At 7:36 da manhã, Blogger Espumante disse...

Li de Queiroz

Mais vale dizer que não me "gramas"...
É que vi-me "grego" para te lembrar da Deméter, ou de me lembrar mesmo que era uma deusa, até me falares da Ceres e aí sim, lembrei-me logo do Pingo Doce onde a Ceres abunda (não é a bunda da Ceres, que ela era deusa e não se pode falar nas bundas das deusas... é abunda, de abundar, também não confundas com "desbunda" que isso é bunda com prefixo "des" que, como sabes, é um prefixo de negação e isso daria "não bunda" o que deve ser uma coisa deslavada, sem jeito nenhum...), eu costumo comprar de lichias, mas a Ceres também tem sumo de laranja, manga, papaia, maçã e maracujá. É que eu até lá passei, fica na estrada entre Johannesburg e Capetown já depois de ter passado o Karoo, mas das vezes que passei em Ceres nunca lobriguei (lobrigar é uma forma mais ou menos científica de ver, topar, descortinar, percebes?) o Triptólemo, talvez porque os dragões estivessem doentes e a gasolina está por um preço que não se pode...
Já a receita que me mandaste eu por acaso até já tinha, tenho uma vizinha que me dá muitas receitas, e deu-me esta. Até vinha misturada por engano com oura receita que lhe deram no "Sames", que ela era bancária e costuma ir ao Sames derivado às dores na coluna que ela sobre muito e então lá vinha agarrada a receita para as dores, mas eu devolvi que a mulher coitadinha mal se mexia, aquilo era só dores na coluna, dores na coluna dores na coluna que ela até me pedia para lhe dar uma massagem mas eu neguei sempre, porque dar massagens às vizinhas é coisa que não me entra lá muito bem porque, como sabes, eu sou de boas famílias e não ando agora por aí a dar massagens às vizinhas, o que é que as outras vizinhas haviam de dizer... até que agora ela anda na fisioterapia que é uma coisa que os médicos de família agora usam muito, mandam o pessoal para a fisioterapia quando elas passam a vida a chatear com consultas.
Bom, eu já tinha a receita mas acabei por descobrir algumas diferenças e por isso é que eu penso que o meu pãozinho de cada dia não é bem igual ao teu, pelo menos aquele que um dia me deste cá para mim tinha menos sal, pelo menos tinha menos gramas... eu é mais sal, mais gramas, mais colesterol, mais enfarte de miocárdio que isto a vida são dois dias e dois dias sem sal não são dias não são nada. "Portantos" vou experimentar a tua receita embora, como dizes, eu não sei quantas gramas (agora dizem quantos gramas mas eu não concordo com o acordo ortográfico, para mim é quantas gramas e ninguém tem nada com isso, que eu não sou de modernices...)tem cada colher de chá. É que há colheres de chá e colheres de chá, ainda há dias me ofereceram um joguinho de colheres, uma coisa muito gira com a haste retorcida e uma pedrinha semi-preciosa (só semi, que a crise, bem diz o Sócrates, está muito grande e temos de ter "coidado" com os excessos) e que é muito pequenina, a colher, não a crise, e aquilo não leva tantas gramas como as colheres que eu vi em casa de uma tia minha que até julgava que eram colheres de sobremesa mas ela disse que não, que eram de chá e prontes.

Depois eu digo-te se o pãozinho de cada dia saiu bem com a tua receita.

Até lá, olha, muitos vrigadinhas e veijos velos, vrilhantes e com pouco sal por causa do ácido úrico. E eu também te estou muito grátis pela ajuda

Teu amigo que ssassina

Espumante

 

Enviar um comentário

<< Home