sexta-feira, agosto 27, 2010

Bond, James Bond. Djeibi Double O Seven!


Sean Connery este ano, num evento em Nova Iorque


[3875]

Surpreendo-me por perceber que à medida que vamos «crescendo», vamos alargando os parâmetros que definem a fronteira entre um homem maduro e um homem de idade. Acho que há bem poucos anos atrás eu jamais me atreveria a achar um homem de oitenta anos com alguma carga de sedução, ténue que fosse. Mais facilmente o associaria a um ser geronte, engelhado, rico em proteínas de vacas loucas, mais ou menos senil e lançando piropos a mulheres com idade para serem suas netas, e cheios de mazelas precisando de constantes cuidados, nos intervalos da medicação para a hipertensão, gota e diabetes. Hoje, tenho de me render à evidência de reparar que nem sempre é assim. Sean Connery mantém viva a auréola de um dos homens mais «charmosos» do mundo. Eu sei que uma personagem iconográfica parte com uma certa vantagem para este tipo de coisas. Também sei que a fase do «ser charmoso» é aquela que as mulheres descobriram para, paulatina e cruelmente, usarem como forma polida de explicar a um homem que passou de atraente a charmoso... uma designação mais ou menos caritativa e compreensiva, sempre que se quer animar o ego dos homens que vão ostentando rugas a mais e cabelo a menos. Mas chegar aos oitenta anos (Sean Connery completou oitenta anos anteontem) e continuar «breaking hearts» é obra. E faz-nos acreditar, àqueles que ainda estão longe dos oitenta mas vão decididamente entrando na «fase condor», que há sempre uma luz de juventude a brilhar na vida de um homem. Assim ele a saiba manter bem acesa, alimentando-a com tanta coisa boa e bonita que a vida nos dá.

Sean Connery em 1967. A receita?

.

Etiquetas: ,

3 Comments:

At 10:41 da manhã, Blogger Dulce Braga disse...

Espumante
Há "charmes" que ofuscam o "bonito e atraente" em qualquer fase da vida do homem..mas devo admitir que Connery sempre foi uma somatória!:)*

 
At 1:56 da tarde, Anonymous Ivette Congallo disse...

Um canastrão PFFFFFFF!!!!

 
At 7:49 da manhã, Blogger Espumante disse...

Dulce Braga

Por mim... podes e deves admitir à vontade. Provavelmente não abundarão "somatórias" por aí "à mão de semear"!... :))
***

 

Enviar um comentário

<< Home