terça-feira, outubro 08, 2013

Na marginal é que é bom para andar de biciccleta


[4995]

Não é só comunistas. Também é uma amostra bem definida de gente correcta, especializada em rotundas e chafarizes e que gosta imenso dos clichés dos costumes politicamente correctos e que nos «ensaboa» o juízo com uma frequência exasperante. Ainda neste último Sábado fui apanhado (é o termo, apanhado) por um corte na marginal, vindo do Estoril para Cascais. Descrever o tortuoso itinerário que me fez subir o Monte Estoril, Alvide, Fontainhas e 3ª circular até chegar a Cascais, entalado num trânsito caótico durante uma hora e um quarto tornar-se-ia num exercício de desesperante reconstituição do trauma.

O corte deveu-se… não sei bem, juro. Sei que no semáforo junto aos Salesianos, durante os sólidos trinta minutos que esperei pela minha vez para virar para o Monte, passaram dois (!!!) ciclistas, marginal (deserta) fora, com a «gear» adequada à celebração de qualquer coisa que devia entroncar com bicicletas, uma coisa que o meu pai me ensinou a manejar ao ar puro do campo mas que agora parece ser de bom tom fazê-lo em vias de grande movimento. E os carros, esses subprodutos horrendos que os homens inventaram para encher o ar de CO2? Então… desviam-se ali para o Monte, Pai do Vento, para Alvide, pelas Fontainhas… Ah! Já tinha dito.

*
*

Etiquetas: ,

1 Comments:

At 8:11 da tarde, Blogger papoila disse...

Aconteceu-me o mesmo!
É ridículo e desesperante...
Tens toda a razão.
xx

 

Enviar um comentário

<< Home