terça-feira, junho 07, 2011

A última mentira



[4301]

Peço desculpa por destoar da onda de simpatia que varreu uma considerável parte do país, por força do último discurso de Sócrates. Que foi muito digno. E bem articulado. Por mim, terá sido a última mentira de Sócrates. Um discurso que ele não desejava e que estava longe de sentir genuino. Sócrates fez aquilo que melhor sabe fazer. Estender a sua pulsão manipuladora pelas gentes que um dia, quem sabe, se lembrarão desta peça de oratória lamechas e lhe darão o voto para qualquer coisa que por aí venha mais tarde. Quem sabe se naquela mente brilhante não perpassa a perspectiva de uma presidência da República. E provavelmente, nessa altura, a memória dos portugueses manterá o registo deste seu último encadeamento vocabular que lhe granjeou uma onda de simpatia final.

Um discurso ao bom estilo de Sócrates. Que, apesar de tudo, ia deitando tudo a perder quando uma jornalista meio nervosa e inábil da Renascença lhe ia fazendo entornar o caldo. Faltou pouco para deitar a aura de santo às malvas e deixar vir ao de cima o ranger de dentes do animal feroz. Mas teve o mérito de se conter e de obrigar a jornalista a repetir a pergunta, o que aquela fez com redobrado nervosismo e consequente perda de eficácia.
.

Etiquetas: ,

8 Comments:

At 11:44 da manhã, Anonymous Joana disse...

E pouco faltou para distribuir estaladão pelo povo que lhe batia palmas e não o deixava fazer o tal do discurso cheios de dignidade que o Luís lhe terá escrito "just in case" na última semana. Quem não o conhecer que o compre...
E sim, se houve coisa que aprendi neste domingo é que o povo tem memória curtíssima! Sócrates acordou um mentiroso, ladrão, criminoso e acabou a noite um "coitado, que digno, afinal ele nem é tão mau assim" :D. A ver...

 
At 11:44 da manhã, Anonymous Joana disse...

E pouco faltou para distribuir estaladão pelo povo que lhe batia palmas e não o deixava fazer o tal do discurso cheios de dignidade que o Luís lhe terá escrito "just in case" na última semana. Quem não o conhecer que o compre...
E sim, se houve coisa que aprendi neste domingo é que o povo tem memória curtíssima! Sócrates acordou um mentiroso, ladrão, criminoso e acabou a noite um "coitado, que digno, afinal ele nem é tão mau assim" :D. A ver...

 
At 11:48 da manhã, Anonymous Joana disse...

Eu queria apagar este comentário duplicado... não estou gaga... é o bug do meu computador

 
At 11:48 da manhã, Anonymous Joana disse...

Eu queria apagar este comentário duplicado... não estou gaga... é o bug do meu computador

 
At 11:48 da tarde, Blogger Lurdes disse...

Pois... era exactamente disso que eu falava lá em cima...

Beijinhos

 
At 7:23 da manhã, Blogger Espumante disse...

Lurdes

Deu para perceber que a Lurdes leu primeiro o post lá de cima e depois leu este ... :)))

 
At 7:26 da manhã, Blogger Espumante disse...

Joana (CD? Estou na dúvida, mas deve ser...)

Não levo os bug a mal. De tal maneira que nem elimino a dobragem, pelo divertido da situação.
É um conforto encontrar uma opinião coincidente com a minha na matéria em apreço... é que fui inundado de opiniões sobre a dignidade e sensibilidade do discurso da criatura...

 
At 2:43 da tarde, Blogger Eu disse...

Querido Espumante, tens toda a razão... isto é uma esquizofrenia de identidades :D
Joana= ex-BJ, ex-criança em crescimento, ex-eu das cartas de tóquio! :D
Temos de conversar um dia destes a propósito da minha próxima identidade ;)
Muitos beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home