terça-feira, janeiro 17, 2006

Endireitar as coronárias



[719]

É mentira. Ficamos mais gordos mas voltamos ao sítio. Quando eu pensava que me estava perigosamente a começar a parecer com um dado, tinha de parar a respiração para apertar as calças e desapertá-las era um exercício tão libertador quanto ser desamarrado por um punhado de sequestradores numa qualquer favela do Rio de Janeiro, eis que, de mansinho, a roupa me serve de novo e o espelho enorme da minha casa de banho me confirma que continuo detentor de toda as protuberâncias do corpo, numa altura em que eu alimentava já sérias dúvidas sobre o assunto e sobre se a anatomia topográfia não seria uma blague para tornar os cursos de medicina difíceis.

Portanto, deixar de fumar engorda, sim. Mas vai tudo ao sítio de novo, tal e qualzinho como o médico me disse. Não há, pois, desculpa, para não deixarmos de fumar. Ao fim e ao cabo deixei de fumar há exactamente dois meses, quinze dias, seis horas e meia dúzia de minutos, já engordei e já voltei ao normal, sem que voltasse sequer a pegar num cigarro.

E isto para vos dizer que está tudo bem, não virei fundamentalista idiota, convivo de perto com fumadores (acho até uma operação de elevada estética…), ainda mando uma cabeçada ou outra na parede mas, basicamente, a ideia de que tinha uma coronária torta e agora tenho uma coronária direita dá-me alento e vontade para continuar a não fumar. E todos sabemos como qualquer homem que se preze sente o ego afagado quando lhe dizem qualquer coisa do género "então já sei que tens a coronária direita". Ter qualquer coisa direita é um factor de grande importância no nosso amor próprio e, mais importante que isso, nós sentirmos que temos qualquer coisa direita. Bem inestimável.

Portanto, vamos acabar com desculpas esfarrapadas. O cigarro faz mal e, entre outras coisas menores como o cancro do pulmão ou da garganta, enfisemas e pericardites, põe-nos muitas coisas tortas. As coronárias, por exemplo. Não fumemos, pois. Vão por mim e depois digam-me alguma coisa!

6 Comments:

At 4:54 da tarde, Blogger Alice in blogland disse...

(E quem é que quer morrer saudável???)

 
At 5:34 da tarde, Blogger Torquato da Luz disse...

Parabéns! Diz-me a experiência que ainda tem algum caminho a percorrer, mas o pior pode já ter passado. Um abraço.
À Alice tenho de dizer que o problema não é morrer; o problema é sofrer antes disso.

 
At 9:27 da tarde, Blogger BJ disse...

Eu tou como a alice! Quem é que quer morrer suadável?
Pois eu parei há uns anos e tive de voltar ao vício que já andava tudo torto de me aturar!
Mas Parabéns pela tua conquista!

 
At 8:44 da manhã, Blogger espumante disse...

Alice in Blogland

Pensando bem no assunto... ora aí está um pensamento profundo :)

 
At 8:44 da manhã, Blogger espumante disse...

torquato da luz

Vai indo, vai indo... mas ainda me apetece cometer assaltos à mão armada quando vejo alguém a fumar :)))
Um abraço

 
At 8:46 da manhã, Blogger espumante disse...

bj
Infelizmente nem sequer me é lícito "fumo de qualidade e o-ca-sio-nal". Tudo porque o fumo, ao contrário de outras matérias, tende a tornar-se rotina. Mais grave. Uma rotina que não cansa!
(esta foi profunda, ou não foi?):))

 

Enviar um comentário

<< Home