terça-feira, março 15, 2005

Internacionalismo Militante...



Enquanto o PSA não sabe se há-de rir ou chorar eu remeto-me à vil tristeza de me saber (ainda) enquadrado numa lógica terceiromundista de um país que se quereria europeu, moderno, pragmático e na senda do bem estar e desenvolvimento dos seus cidadãos.

São fenómenos deste tipo que configuram a nossa espantosa permanência num registo atávico, por razões inextricáveis e consequências imprevisíveis num futuro próximo. É que agora não estamos sozinhos. Pertencemos de facto e de jure a uma comunidade que não se compadece com estas manifestações idiotas e muito menos nelas se revê. Independentemente da bondade que pudessem conter e da genuinidade dos seus propósitos. Embora saibamos que elas radicam apenas em egos obesos e vaidades decorrentes de qualquer problema mal resolvido de pequenino.

2 Comments:

At 10:06 da manhã, Anonymous odala disse...

Olá Lindo
Nunca te deixei aqui um post, deixo-te um hoje propondo-te nova reflexão na senda desta tacanhez de espírito que tu te esforças por exorcizar nos portugueses (olha que é trabalho duro e sem grande valia:).
Que a tacanhez também se manifesta na nossa dificuldade em receber bem os emigrantes. Nada de sociedades multiculturais como agradavelmente gostaríamos de pensar...nós temos temor a essas sociedades, temor que umas pessoas quaisquer, vindas duns países que para nós soam todos ao mesmo (qual é a diferença entre croácia e eslovénia) nos tirem os nossos preciosos postos de trabalho, que nós, como todo o bom portugu~es até nem queremos porque dá muito trabalho
Digam adeus ao multiculturailismo e tolerância e olá à xenofobia

 
At 9:31 da tarde, Blogger espumante disse...

Odala

Olá Linda

Que prazer... :) Mas ó sua "blog ignorant", isto nâo é um post é um comment, mas eu desculpo. Quanto ao comment propriamente dito, "é assim":
- Se reflicto muito, tacanho-me no espírito exorcizado e perco a valia do trabalho duro :))) Quanto aos emigrantes... eu não dise nada, ou disse?

 

Enviar um comentário

<< Home