quarta-feira, março 16, 2005

Cores



Gostava de te tirar o cinzento.
Esse teu ar pardacento
De quem se zangou com o mundo!
E, num pensamento profundo,
Dar-te a cor mais deslumbrante
De um arco-íris brilhante.
E que o pote de ouro da lenda
Se transformasse numa renda
Suave, meiguça e macia
Que te enfeitasse outro dia...


Espumante

(autoria própria reconhecida, porque achavam que não...)

4 Comments:

At 7:54 da tarde, Anonymous Anónimo disse...

Poema lindo!

 
At 7:56 da tarde, Blogger espumante disse...

Anónimo... quem quer que seja!
E não é que gostei também?

 
At 3:16 da tarde, Blogger Francisca disse...

Eu também gostei, sobretudo depois de saber que era seu.
Um poema cheio de luz e ternura:)
Parabéns:)

 
At 8:16 da tarde, Blogger espumante disse...

Francisca
Não tanta luz como a dos posts da Francisca, que já vão fazendo falta no GF
Brijinho e obrigado

 

Enviar um comentário

<< Home